Corvette Brasil

Maior conteudo sobre Chevrolet Corvette na língua Portuguesa.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

AC CobraVette

O que? A tradicional marca Inglesa de 110 anos, a AC vive! E muito bem obrigado. Agora sob propriedade Alemã e também com indiscutível qualidade germânica, os carrinhos vem equipados com um motor de verdade emprestado do Corvette. Ironicamente, o carro que foi vencido pelo Corvette Grand Sport idealizado por Zora Arkus Duntov e, por muitos anos, ícone relacionado com a Ford é hoje equipado com o devido small block Chevy. Nada de errado com a mecânica Ford do Cobra original que é no mínimo primorosa para não dizer espetacular.Mas o fato do carro original agora ser equipado com motor Corvette merece receber um artigo aqui no blog.



O modelo a seguir é o AC Cobra (estranho, marca acreditava ser de propriedade de Shelby e Ford) Mk VI e é basicamente um chassis de tubos cilindricos soldados no estilo space-frame com suspensão triangular que é derivada dos carros de competição.


Há duas motorizacões ambas derivadas do LS3 V8 de 6.2 litros do Corvette que produz 436 hp originalmente. No Mk IV o básico GT tem 437 hp (mudancas no sistema de exaustão variam a potência) enquanto que a versão GTS extrai 647 hp do LS3 e é capaz de acelerar o carro até 100 km/h em apenas 3.3 segundos como no Corvette ZR1. Os freios são da Porsche que são bons mas nada eficientes perto dos Brembo de cerâmica e carbono usados no Corvette ZR1 de fábrica. Já a carroceria do Mk IV é feita em alumínio (híbrido junto com materiais compostos) devidamente fabricada à mão.


O carro também tem um cockpit maior para acomodar confortavélmente ocupantes mais altos. O interior é adornado por carpete Alemão e couro de alta qualidade. O AC Mk VI é na verdade uma perfeita recriacão moderna do icônico AC Cobra original porém com todos os benefícios da mecânica Corvette e qualidade Alemã de producão, aliás é produzido na Alemanha.



O legal é que o AC Mk IV não é uma imitacão ou réplica mas trata-se de um AC genuino apenas que a empresa mudou de mão e pais sendo agora na Alemanha ao invés da Inglaterra. O interessante é que nos EUA apenas são fabricados 1.500 réplicas do Cobra ao ano, o que mostra o mercado para esse carro icônico. O carro pesa apenas 1.025 kg o que é bem menos que o AC Cobra da década de 1960 ainda que com todas as evoluções de segurança. Muito interessante é a capota dura que de tão bem feita parece se tratar de uma versão cupê. Para quem quiser conhecer mais a AC pode visitar o site deles aqui. Recentemente a AC entregou um "original" à Shelby que equipou o carro com motor e câmbio Ford.



Muitos irão estranhar o fato do Cobra não ser equipado com motor Ford mas o AC, durante sua história, teve vários motores inclusive BMW (era conhecido como AC Bristol) que tinha uma grade maior e mais alta para acomodar o belo seis cilindros em linha Alemão. Sendo assim, outro motor na sua história não será nada mal ainda mais vindo do Corvette.









Notem a carroceria do Bristol original. O interessante é que o nome Bristol foi adotado no lugar da BMW na Inglaterra devido ao pós guerra onde os Ingleses ainda estavam bem sensíveis à produtos de origem Alemã.


O AC Bristol,a grade maior e capô mais alto.

Inclusive vários carros Bristol, como o 401, eram na verdade BMW do pós guerra rebatizados. Ou seja, a Bristol vendia carros bons porque eram BMWs, notem a grelha do 401 como até isso manteve da BMW.

Bristol 401, apenas o logo da BMW foi tirado da frente e todo o resto mantido.

Com certeza o novo AC Mk IV será um sucesso, não pelas quantidades claro mas sim pela sua beleza e qualidade. Digo mais, acredito que o AC Ace, quando virou Cobra pelas mãos de Carroll Shelby com ajuda da Ford, é um dos carros mais bonitos que já existiram. Poder manter as linhas clássicas com mecânica moderna e originalidade é sem dúvida os trunfos da nova AC.

Nota 24 de Fevereiro: O foco desse post é o AC e não a Bristol e assim não tínhamos a intenção de ir à fundo no assunto, mas vamos esclarecer alguns pontos. Bristols são na verdade BMWs como comentamos anteriormente. O carro acima, o 401, tinha sua carroceria feita em Turin pela Pininfarina. O chassis era do BMW 328 da década de 30. O motor também era do BMW 328 porém com um deslocamento ligeiramente maior. As peças eram então montadas na fábrica da Bristol Cars em Bristol (por isso o nome da empresa). As carrocerias eram enviadas para a Inglaterra. Naturalmente, por não ter capacidade de produção devido à guerra, os projetos da BMW de motor, chassis, etc que tinham sido licenciados pela parceira da BAC a Nash, eram então feitos pela Nash e enviados à BAC.Curioso, que para montar os carros BMWs e seus motores a Bristol usa uma licença da Frazer Nash da própria BMW. Algumas carrocerias dos carros foram produzidas pela Zagatto.

A figura abaixo mostra um Bristol tipo 400 (antecessor do 401) na fábrica do Pininfarina na Itália. Tanto o Farina pai quando o filho trabalharam nos Bristols. Claro, a Zagatto forneceu outras carrocerias para modelos posteriores.


Um comentário:

Adalberto disse...

de novo apagou? Só porque comentei um erro do post? Eu não fui mal educado, nem ofensivo...

Erros acontecem, não é pecado...

Comentei que o Bristol era BASEADO no BMW, e não apenas um BMW com nome ingles...