Corvette Brasil

Maior conteudo sobre Chevrolet Corvette na língua Portuguesa.

terça-feira, 17 de abril de 2018

C8 : o novo Corvette de motor central

Desenho da Car and Driver do que pode ser o Corvette de motor central.

Nos últimos dias, recebi o exemplar de Maio da revista Car and Driver com um artigo sobre o novo Corvette C8 de motor central. Aqui o que aprendemos sobre o assunto.

De acordo com a publicação, as mudanças serão bem maiores do que apenas de layout e aparência. Para começar, nenhum pedal de embreagem irá mais existir deixando os verdadeiros entusiastas, assim como seu humilde autor, extremamente desapontados.




Estruturalmente, o Corvette C8 será muito similar ao C7 sendo construido em aluminio para o seu chassis, com placas de plástico para carroceria junto com fibra de carbono e metais como magnésio. Será então um backbone tipo spaceframe de aluminio com outros materiais, como atualmente. O que muda é a arquitetura mudando o motor para entre as costas do passageiro e o eixo traseiro. Dessa forma, câmbio e motor serão atrás e não como desde o C5 onde motor é dianteiro-central e câmbio traseiro. Esse tipo de configuração melhora a tração e arrancada pelo maior peso nas rodas traseiras mas, na minha opinião, descaracteriza a tradição do Corvette.

Em termos de motorização, aqui grandes novidades. Para começar deve ser adotado uma versão atualizado do atual LT1 do C7 com mais potência: em torno de 500 hp. Esse será o motor básico.

Porém, logo em seguida, um motor de 5,5 litros DOHC de alto giro (motor que vai girar 9.000 RPM ou mais) será opcional.  Será o primeiro DOHC do Corvette desde o LT-5 do C4 ZR-1 de 1990-95 projetado pela Lotus e fabricado pela Mercury Mariner. Esse motor deve ter características parecidas com os da Ferrari (gozação: sem quebrar ou custar tanto) e deve ter menos torque em baixa rotação (grunt), algo que descaracteriza o Corvette. Um motor que deve ter pelo menos 600 hp.



Existirá, logicamente, a versão superalimentada desse motor de 5,5 que deve ter turbos ao invés dos Compressores que existem desde o ZR1 C6 e estão nos atuais Z06 e ZR1 C7. Com isso a potência do motor deve subir para 800 hp.

Além disso, possivelmente existirá uma versão híbrida com motores elétricos na frente bons para mais 200 hp o que deve elevar a potência do carro para 1.000 hp quando ambos motores são utilizados. Por ser instalado na frente, os motores elétricos e bateria devem roubar todo o espaço do porta malas. Além disso fará com que o carro tenha tração dianteira elétrica e traseira à combustão.

Naturalmente, com os motores turbo alimentados e sistema híbrido, o desenho do carro vai necessitar de várias entradas de ar e deve ser interessante as possibilidades de desenho devido à necessidades de refrigeração mais aerodinâmica.

Com relação ao câmbio, outra novidade. Existe um rumor que um câmbio de dupla embreagem e 8 marchas está sendo desenvolvido. Não haverá câmbios manuais, grande decepção. O interessante é que esse cambio será desenvolvido junto com a Tremec que hoje fornece os câmbios manuais. Vejam, câmbios de duplo embreagem são, essencialmente, câmbios manuais controlados eletronicamente. Isso difere dos atuais câmbios automaticos de alta velocidade que a GM tem, inclusive equipando o Corvette cujo tempo de mudança é superior aos câmbios de dupla embreagem da concorrência. Imagino que deve haver espaço e opções para esses câmbios também no novo Corvette.

Uma das novidades que, como usuário e proprietário desses carros, me agradam muito é o controle da altura da suspensão dianteira. Não só tem o objetivo de alterar o ângulo de ataque aerodinámico do veículo mas é extramemente útil no uso diário para não raspar a frente quando se estaciona com guias maiores ou ainda as lombadas que atormentam muita gente no mundo inteiro.

Dizem as fofocas que o C8 não iria substituir o C7 logo de cara pois será fabricado, durante um tempo, em paralelo com o atual C7 na planta de Bowling Green no estado de Kentucky.

Vamos ver o que o C8 será, mas uma coisa eu lamento: a falta do câmbio automático que foi um experimento que até a Porsche tentou mas teve que voltar atrás no 911 devido aos puristas. Tenho certeza que os puristas do Corvette também não devem deixar isso barato.

Capa da Revista Car and Driver de Maio 2018



Um comentário:

Luiz disse...

Levam 200 anos para lançar o Corvette de motor central, mas só oferecem transmissão automática? Qual é a lógica? Ou falta de lógica?