Corvette Brasil

Maior conteudo sobre Chevrolet Corvette na língua Portuguesa.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Kellison J, o carro que começou tudo!


Alguém aqui consegue ver o capô do Jaguar E-Type na foto?

A princípio a foto de chamada desse post pode parecer mais um fora de série, porém a verdade é que se trata de algo muito, mas muito mais sério do que isso. Sras e Srs, trata-se do desenho de Jim Kellison que foi o desenho de cupê mais copiado pelos grandes esportivos como Corvette, Jaguar XKE, Bizarrini GT Strada, ISO Griffo, Lamborghini Miura e muitas Ferraris. Os grandes e mais belos carros foram todos influenciados por esse desenho de Jim Kellison de 1954 que acabou sendo esquecido no anonimato. Os Kellison ainda aparecem em certos lugares estranhos pela Califórnia e uns exemplares já participaram do Pebble Beach.



O belo Kellison roadster!


Essa versão moderna do Kellison tem as rodas do Corvette C4 e os retrovisores.



O carro que estão vendo nas fotos é um Kellison Astra J-5, uma versão moderna.


Mas, como assim copiado? Vou explicar. As características propostas por Kellison no seu cupê podem ser encontradas em todos os grandes clássicos cupês esportivos e foi, sim, copiado pelos Europeus que conheciam o desenho. Naturalmente, quem copiou do Kellison as características em primeiro plano manteve a fonte de inspiração no anonimato mas foi seguido pelos demais designers Europeus e Americanos dos anos 50 e 60.


Vamos então listar o que define esse belo desenho cupê do Jim Kellison:
  • Carro de altura bem baixa em consequência centro de gravidade.
  • Capô longo e configuração curta do deck.
  • Aberturas de ar na carroceria.
  • Faróis quaduplos.
  • Para brisa com ângulo pronunciado.
  • Pequenas janelas traseiras.
  • Vidro traseiro inclinado.
  • Carroceria tipo fast back.


A história do design de Kellison começa em 1954 quando o então ex engenheiro aeroespacial californiano, Jim Kellison, desenha as linhas do carro. No ínício dos anos 60 o carro já era famoso nas corridas de arrancada na Califórnia e veio chamar muita atenção dentro dos designers e entusiastas da época por ter conseguido a marca de 300 km/h no deserto de Salt Flats em Bonneville Utah. Isso já provou que a aerodinâmica do carro era algo fora do comum. Muitos designers Europeus viajavam para o sul da Califórnia nos anos 50 e 60 para inspiração e foi assim que o Kellison "se tornou" Europeu, praticamente um Italiano.


A inspiração do desenho do cupê de Kellison veio dos primeiros dragsters que começaram a aparecer no sul da Califórnia e tinham uma longa frente com traseira curta. Kellison, usando todo o seu arsenal de curvas, tentou capturar a essência de um dragster no seu cupê e conseguiu não só isso mas também um formato radical que parecia estar à 300 km/h mesmo parado. Daí o desenho ter sido copiado pelos Europeus e ser até creditado à eles esse tipo de formato. Essa semana estava lendo o excelente blog do meu querido amigo Francisco J Pellegrino quando vi uma imagem do carro. Ninguém sabia do que se tratava e desdenharam do carro mal sabendo do imenso valor que têm. Quando era mais novo meu Pai me contou essa história. Me disse que os grandes cupês Europeus eram na verdade baseados no desenho de um Californiano. Aqui, hoje depois desses anos todos, mostro para você a história que meu pai me contou. Claro, sem nenhum desses detalhes que mostramos aqui.



Observe que mesmo os Italianos modernos como essa Ferrari 550 Maranello ainda carrega o desenho pioneiro de Kellison.

Em 1961 Jim Kellison resolve vender o seu negócio para Max Germaine de Sacramento cuja divisão automotiva, ASTRA Automotive, continua fazendo o original. Jim Kellison mora com muita sáude hoje em Marysville Califórnia e é dono de uma empresa de compra e venda de jóias e diamantes. O carro abaixo com essa grade parecida com o Corvette e os grandes 4 faróis dianteiros é um dos 5 Kellison originais e esse foi registrado em 1963 como um ASTRA modelo 1962. A placa amarelo sob preto é o número Californiano original da época que está no carro até hoje.


O primeiro desenho de Kellison demorou 2 anos mas o primeiro carro iria sair em 1957 e provocou uma reação incrível. Estamos falando de uma época em que não havia TV por satélite e nem Internet e que a Califórnia criava suas próprias idéias automotivas de uma forma até independente do resto do país e mundo. Um dos primeiros carros oferecidos por Kellison foi o J-4 que existia também em carroceria fechada cupê e roadster. Quando o chassis em forma de X foi criado, foi usada suspensão independente do Corvette C2 (cujo 1963 cupê se inspirou no Kellison também). Na época, um pacato cidadão Californiano podia comparar um J-4 por $640 Dólares.


Kellison continuou a evoluir o carro e lançou o J-5 (foto) porém com distância entre-eixos de 102 polegadas para aumentar o espaço interno para os ocupantes. O J-5 tinha 4 faróis também. O J-5 foi oferecido ao público por $700 Dólares.


Note o chassis desse carro: Era um estrutura tubular de 3 por 4 polegadas de aço e vinha com motor Corvette modificado.


Outras carrocerias foram também oferecidas aos clientes de forma quase que customizadas. O J-3, por exemplo, foi desenhado para encaixar numa plataforma de MG ou Austin Healy. Até, com poucas modificações, era possível ter um J-3 sob chassis de VW sedan (Fusca) ou de Porsche. O J-3 era oferecido apenas na versão roadster porém um inteiramente montado custava em torno de $500 Dólares.


Olhe só: O J-2 foi projetado para encaixar num chassis Triumph ou Renault e podia vir em cupê ou roadster. Menor ainda era o J-1 que servia num chassis Austin-Healy Sprite ou Crosley. Porém, apesar desses Kellisons menores serem montados em plataformas Européias o motor era também do Corvette!



A última evolução da série J veio no J-6 Panther. Esse carro foi desenhado para ser diretamente encaixado num chassis Corvette C1 de 1953 à 1962. Havia também uma tampa de porta malas e o teto era uns 6 centímetros mais alto com uma espécie de bolha (anos mais tarde imitado pelo Dodge Viper). Já o X-300GT era um desenho da ASTRA.


Mas Kellison começou a produzir outros veículos como Buggies de duna e até pickups. Havia também uma linha completa de carrocerias para competição. No final da década de 1960 ele começou a fabricar carros de Fórmula Vee como o nosso amigo Roberto Zullino. Um visionário. Os últimos projetos de Kellison eram uma espécie de desenho tubarão feita para o chassis do VW sedan (fusca) e um carro muito parecido com o GT-40 com motor central V8 Ford que teve ótima aceitação na época. Depois que Jim Kellison vendeu sua empresa, ele começou outra chamada Red Stallion (garanhão vermelho). O produto da Red Stallion se chamava Stallion e era uma cópia do Cobra. Ou seja, foi um pioneiro na indústria de réplicas de Cobra também.


Portanto, se algum dia você vir um carro da série J, tire o seu chapéu para ele. Afinal, Jaguar, Corvette, Lamborghini, Ferrari, Aston Martin, Zagatto e tantos outros o fizeram no começo da década de 60.




























Havia uma versão Roadster do Kellison também:














Note o painel de console central e alavanca de câmbio emprestadas do Corvette.











Note o painel do Corvette C1 nesse exemplar exposto numa botique Californiana.




Os modelos Kellison existentes são:

J-1



J-2



J-3



J-4



J-5




J-6



X-300GT


Videos de um Kellison J original são muito raros, mas há um tempo atrás vi esse video onde havia um raríssimo J-4 e gostaria de compartilhar para vocês verem. O carro, em branco, pode ser visto nos 3:15 minutos do video. Esse video foi da edição de 2010 da Schloss Dyck Classic Days.




4 comentários:

Luiz disse...

Carlos,
Simplesmente sensacional esse post do Kellinson. A primeira vez que tive notícia dele foi numa velha revista Custom Car, de 1963. O carro então era um Astra customizado. Fiquei deslumbrado com o design mas sempre achei poucas informações sobre o carro. Apenas mais recentemente as informações apareceram, e com este post a história do carro ficou mais rica e fascinante!

Carlos Scheidecker disse...

Luiz,

O carro é impressionante mesmo. Em 1957 ele saiu e apenas em 1961 o E-Type foi mostrado. Ou seja, há 4 anos que os separam e note como o E-Type fechado é muito parecido com o Kellison.

roberto zullino disse...

Muito interessante, a Califórnia sempre foi um mundo à parte, é a Europa dentro dos USA. Além do Kellinson tinha outros, o Devlin que fazia alguns bons desenhos e outros ne tanto. Na rralidade, eles foram os pioneiros em usar a fibra de vidro em carroceria podendo dar asas à imaginação a baixo custo. O italianos tinham que fazer tudo no martelinho o que limita a criatividade. Viram os desenhos que sem dúvida foram um marco divisório e copiaram na cara dura. Mesmo sendo uma pequena empresa conseguiram dar uma acabamento aos carro decente, mas acho que isso devia ser feito pelo comprador.

Francisco J.Pellegrino disse...

Eu encontrei aquelas fotos do meu post em algum lugar pela internet, não tinha a menor noção do que se tratava..apenas uma indicação que era um chassis de C4...VC ESGOTOU O ASSUNTO...excelente pesquisa, aprendemos mais uma. Grande abraço e muito obrigado.