Corvette Brasil

Maior conteudo sobre Chevrolet Corvette na língua Portuguesa.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Matéria sobre Corvette da Rebeca Sgrignolli


Rebeca Sprignolli escreveu essa matéria sobre o Corvette. Estamos aqui compartilhando o link. Boa leitura!

http://carbonouomo.com.br/motor/corvette-um-mito-americano/







CORVETTE, UM MITO AMERICANO

O colecionador Carlos Scheidecker conta tudo sobre o astro da Chevrolet
por Rebeca Sgrignolli 15 Set 2016 15:24 


O Corvette 2017 começa a ser produzido neste ano. Já se vão 63 anos desde a produção do primeiro modelo da Chevrolet, em 1953. Depois de tantos altos e baixos, da rejeição inicial a ícone americano, o Corvette conquistou uma legião de fãs e até mesmo uma coleção de calçados. Para entender um pouco sobre o que atrai nesse esportivo conversamos com o engenheiro paulista radicado nos Estados Unidos Carlos Scheidecker, responsável pelo primeiro portal sobre Corvette em português.
Apaixonado pelo modelo, o dono de uma firma de tecnologia conta que o Corvette Brasil surgiu como uma terapia. Seus diversos amigos, que sempre o procuravam atrás de informações sobre o esportivo, também deram um empurrãozinho. Com o crescimento do blog vieram também a página no Facebook e o canal no Youtube, que tem seguidores fiéis e serve de ajuda para muitos proprietários no Brasil.
Scheidecker revela que adquiriu o primeiro Corvette há 11 anos, e desde então já possuiu mais de dez veículos, sendo que quatro deles estão atualmente em sua garagem. “A primeira vez que vi um Corvette foi quando meu pai trouxe para casa um livro de todos os carros do mercado americano na década de 1970. Era um livro muito grosso e pesado, parecia uma Bíblia. Entre centenas de carros, um me chamou muito à atenção, o Corvette 1974. Meu pai quem me disse o nome do carro, pois ainda não sabia ler. Desde então começou o fascínio pelo modelo. Depois disso, sempre colecionei livros e revistas, além de miniaturas dos modelos do Corvette, sempre pensando que um dia teria um. Em 1983 ganhei um mini pôster do novo Corvette 1984, o primeiro ano do C4″, diz.
Por que o Corvette é diferente de outros esportivos?
São vários motivos, desde os técnicos até os emotivos. Em primeiro lugar, existe o fato do Corvette ser um modelo ícone, assim como o Porsche 911. É o modelo-sinônimo da marca. Aqui chamamos de Halo Car. Um dos motivos mais importantes se refere a algo bem americano: o American Dream, que trata de você conquistar o que te deixa bem e feliz devido ao ser trabalho duro. Não é necessariamente algo material, mas sim um símbolo do American Way of Life: o troféu pelo seu esforço, a recompensa, o símbolo de conquista e liberdade. Todos os carros têm uma personalidade única. O Corvette está na sua sétima geração, e cada uma delas é bem diferente da anterior, ainda que um Corvette em espírito.
Dentre as diversas gerações e versões, existe alguma que seja sua preferida?
_CS: Eu gosto de todos os modelos. São bem diferentes e mudam muito. Por exemplo, os últimos C4s, de 1992 a 1996, têm um câmbio perfeito, uma direção que te dá um feedback fantástico e um ótimo motor. Já o C5 é muito mais rápido, mais confortável e tem um chassi muito mais rígido, ainda que a direção não tenha um feedback tão gostoso e rápido como nos últimos C4s.
Um dos modelos que ainda não tenho é o C1. Gosto muito do 1959-1960, porém prefiro que não seja original e sim um resto-mod (aparência de original mas câmbio, motor, suspensão, freios e outros componentes modernos). O C7 é um carro ótimo e bem diferente do meu C6 Z06. Sempre achei o C6 Z06 perfeito, pois tem um motor muito forte 427ci (7 litros), uma dirigibilidade fantástica, câmbio, direção etc. Tenho o meu Z06 há anos, e ainda sim toda a vez que saio com ele tenho uma tremenda satisfação. O C7 conseguiu pegar tudo que o C6 Z06 e ZR1 tinham e deixar ainda melhor. Em especial, o C7 tem uma direção muito mais precisa. Os Corvettes C5 e C6 têm uma tendência maior deundersteer. O C7 quase que cura isso.
Como todo “piloto” de carros esportes, understeer é algo indesejável, sendo preferível o oversteer (saída de traseira). Mas a diferença do antigo ao moderno é simples: o momento, o que vai fazer e como vai curtir o carro. Dependendo do momento, um clássico é muito mais apropriado que um moderno. A escolha entre clássico e moderno é muito semelhante aos vinhos: depende da refeição (momento). Por isso é bacana poder ter carros de diferentes eras. Outra coisa muito interessante com modelos ícones como o Corvette é que cada geração do modelo reflete bem o estado cultural, histórico do período. Por exemplo, um carro dos anos 60 é a cara daquele momento assim como nos anos 80, ele refletia o momento.

Rebeca Sgrignolli

Desde pequena mostrava opinião e gênio fortes. Nem sempre aquilo que interessava aos outros lhe chamava a atenção. Aproveita todo momento para conhecer um lugar novo, seja uma cidade, restaurante ou um automóvel. Para ela, buscar algo diferente traz sempre emoção
.

4 comentários:

Luiz disse...

A matéria mostra seu caso de amor com o carro que habita o desejo e a admiração de malucos por carros do mundo inteiro!

Unknown disse...

Boa noite por gentileza gostaria de saber aonde ficaria a numeração do motor na
Corvette C6 2010/2011 manual obrigado

Diego disse...

Boa noite por gentileza gostaria de saber aonde ficaria a numeração do motor na
Corvette C6 2010/2011 manual obrigado

Carlos Scheidecker disse...

Fica do lado do motorista, na frente entre o coletor e a tampa das válvulas. Fica na frente.